coleção jalapa

(Esse foi o último texto que o Marcelo tentou mandar do Jalapão no dia 18 de julho, dia do encerramento da vivência com o capim dourado. Só que a  a aranha net justo dessa vez não ajudou, mas segue agora o post com mais imagens e já uma amostra de dois  protótipos prontos dos novos produtos)

Sem dúvida o maior exercício dessa vivência foi trabalhar em equipe , no coletivo. Chegamos  e desde o  primeiro dia,  todas as artesãs estavam esperando um curso. “Isso é sempre assim, (disse a Heloisa Crocco), elas sempre acham que iremos chegar  e dar aulas”,… Não que isso de alguma forma não aconteça, mas precisamos começar nos familiarizando com o feitio do trabalho com o Capim”… Por aí dá para imaginar um pequeno conflito, de um lado a ansiedade das artesãs de aprender e do outro a nossa expectativa de entender e conseguir implementar novas técnicas e novas estéticas a partir dos saberes  e de  tradições delas.

“TU ME ENSINA A FAZER RENDA QUE EU TE ENSINO A NAMORAR”

jalapa cenario1

Esse, com certeza,  foi e é o momento de maior dificuldade de toda a vivência…dá vontade de nem desfazer as malas e voltar!!! Uma das artesãs, nesse primeiro dia, me sugeriu de desistir de dar aula e reformar a sua casa dela – que isso com certeza eu sabia fazer BEM!!! Passado  o susto,  as coisas foram se azeitando e tudo começou a andar bem. A confiança mútua  foi crescendo. E entendendemos a verdade que existe quando elas mesmas afirmam que “deixamos de costurar roupas para costurar capim”.  Esse era o caminho , capim se costura e ponto. E a partir daí  abriu-se espaço para a nossa intervenção no trabalho delas, de  trazer uma nova linha , de outra cor (o preto) , pra costurar o capim.

jalapa cenario2

As oficinas aconteciam das 8 as 11h, quando as  artesãs paravam pra preparar  o almoçoe voltavam pra continuar das 14 às17h.  Depois, saíamos para andar pela cidade, fazer mais reconhecimento de área , discutir junto com toda a equipe sobre as impressões , dificuldades e novas idéias. Sempre um momento sempre muito rico, divertido, do coletivo e, claro, sempre regado a muita cerveja, pois o calor do Tocantins não é coisa pra amador. Pense num lugar muito quente,…, pois lá e um pouco mais!

jalapa cenario3

Mas o melhor de tudo isso, é que esse tipo de vivência pode e deve acontecer em qualquer esquina do nosso Brasil. Não tem lugar definido,  não coloca  limite , basta ter gente e disposta  a por a mão na massa,  por tradição ou por  necessidade de sobrevivência , com suas riquezas naturais –  de sementes , fibras, palhas , linhas, algodão e sei lá mais o que dê em abundância nas nossas terras.

Sobre o método:

Levei referências de tendência das maxi bijoux, tipo que se usa hoje e que aparecem em todas as revistas de moda, até nas novelas.

Fizemos o exercício de observar o cotidiano delas, as belezas da região e buscamos incorporar essas formas nos objetos, valorizar o brilho do capim dourado, como matéria mais nobre e usar outros materiaia que contrastassem  mas que não roubassem a cena.

Optei em trabalhar mais com bijoux pois usa-se menos matéria de capim e essas peças podem ser mais valorizados pois a aceitação é imediata.

Fizemos uma mesa onde o pé é o mesmo das  lixeiras existentes na cidade, mostrando o quanto o entorno pode nos inspirar a criar objetos.

jalapa homem colar

colar Raimunda, com uso do fio preto

jalapa mesa

mesa Amélia, com pé de lixeira

jalapa grupo

Só  sei que  gostaria de dedicar cada vez mais do meu tempo para trazer esse artesanato em potencial, essa riqueza natural para o benefício de todos…todos nós temos muito que aprender! É isso, espero que essa vivência tenha sido tão transformadora para as artesãs e para a equipe Jalapa, como foi pra mim. – Marcelo

EQUIPE  COLEÇÃO JALAPA

COORDENADORA   HELOISA CROCCO

DESIGN GRáFICO   MARCELO DRUMMOND

FOTÓGRAFO   FABIO DEL RÉ

VÍDEO DOCUMENTARISTA  TOMAS

DESIGNERS  HELOISA CROCCO, FERNANDO MACULAN, MARCELO ROSENBAUM

*

Outros links sobre a Vivência Jalapão aqui no blog:

Vivência Capim Dourado, conta mais sobre o projeto e o convite que o Marcelo recebeu da Heloísa Crocco

No Jalapão tem Aranha Net, primeiras imagens e impressões sobre o Jalapão, diretamente da lan house 24h

As Mãos de Ouro, apresenta as artesãs

Jalapão Work in Progress, as primeira peças em desenvolvimento

About these ads

10 Respostas para “coleção jalapa

  1. A expectativa em torno desse projeto estava imensa… afinal de contas poder inovar algo que já é belo traz uma excitação a todas as artesãs do capim dourado…e eu como observadora de tudo isso posso afirmar que foi um passo muito importante rumo ao reconhecimento dessa arte, pois além do que elas já sabiam, agora tem essa nova cara com fio preto, plástico, madeira… Valeu muito cada dia de vocês que foi dedicado ao capim dourado… Bjs

  2. Li os posts relacionados a este projeto e achei muito interessante esse upgrade na confecção de novos produtos, para gerar novas rendas.
    Gostaria de saber se possível, como foi essa recepção em relação a pessoas de “fora” realizarem este tipo de interferência no trabalho das artesãs. (já foi dito mas gostaria de saber além disso…)
    Pois em uma cidade de 9mil hab, onde a comunicação é dificultada. Em alguns centros até de médio porte, empresários, não conseguem entender e aceitar este tipo de interferência por parte da inovação de novos produtos.

    Abs

  3. São dois mundos que se complementaram, assistindo o entrosamento dos designers e artesãs e o produto, pois vimos dia-a-dia essa contrução, o encontro foi realizado no Colégio Estadual Odolfo Soares, onde trabalho, foi gratificante e motivador. Vi o quanto se pode aprender e ensinar, cada um com sua cultura e experiência de vida. Esperamos, enquanto nativos, que essa parceria não acabe aqui. Que tenhamos mais oportunidades iguais a essa, especialmente com pessoas tão humanas quanto esse grupo que veio. Parabéns a todos.

  4. Acho tudo fantástico!!!!!!!!!!!!!São verdadeiras obras de arte e praticidade. Parabéns!!!!!Bjos!!!

  5. Bom moro no estado e confesso que ja vi varios artesanatos com capim dourado…mas a mesa me encantou mais ainda,adorei o trabalho que vi pelas fotos e espero que o Brasil possa conhecer mais da beleza de nosso estado!

  6. afra perdigao dornelas

    que materia interessante.conheço trabalhos com capim dourado .sao lindos. tambem gosto de todos que vi.sao lindos .

  7. Olá, tudo bem?
    Tenho o cartão das artesãs quando estas participaram da feira de agricultura no Rio de Janeiro, em novembro de 2008. Entretanto nenhum dos dois telefones que tenho existem mais… Você poderia me passá-los?! Moro no Rio de Janeiro e tenho interesse em fazer uma grande compra com elas. Meu e-mail é marianaufrj@yahoo.com.br . Obrigada.

  8. Pingback: o poder da mudança através do social « rosenbaum®

  9. Olá Marcelo,
    parabéns pelo trabalho da coleção Jalapa. Estive em Ponte Alta no final de 2009 pois pretendo importar artesanatos de capim dourado para os Estados Unidos, onde moro atualmente. Certamente pretendo vender algumas peças da coleção Jalapa. Estou montando um site e um catálogo e gostaria de saber se vocês realizaram algum vídeo sobre o processo? Se sim, gostaria de colocar o link desse vídeo no meu website. Obrigada, abraço
    Cristiane
    cristiane.kimura@gmail.com

  10. Pingback: Rosenbaum » WGSN

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s