Arquivo do mês: janeiro 2009

bárbara ensina: caixas carimbadas

No ambiente que fizemos para o Festival da Organização da Leroy Merlin, as caixas organizadoras de papelão ganharam um graça especial, que a Bárbara ensina aqui o passo a passo.

1.Anta, bicho-preguiça, lobo-guará, papagaio, macaco. Escolha um bicho pra preservar e decorar a sua caixa.carimbo-00

2.Mande fazer carimbos com os desenhos dos bichos e espalhe essa idéia.

carimbos-01

3. Com os carimbos na mão, as suas caixas nunca mais serão as mesmas.

111

 4. Carimbe.

41

 5.Divirta-se como a Bárbara está se divertindo.

53

 6.Olhe a sua caixa, que ninguém tem igual,….

61

…fazendo bonito na sua sala.

32

pré-festival da organização leroy merlin

Mantendo a parceria de criação de conteúdo para a Leroy Merlin, que iniciamos em 2008, abrimos este ano com ambiente no Festival da Organização. Aqui uma prévia, e a partir do dia 30, nos tablóides da Leroy em todas as lojas.

organizacao1

  organizacao2

Fotos Malagrine.

ROSENBAUM RESPONDE – GELADEIRAS

 


9

Oi, gosto muito do seu trabalho no Caldeirão e no Lar Doce Lar. Mas o que me chamou a atenção foram as geladeiras personalizadas. O que eu gostaria de saber é como eu posso fazer o mesmo com a minha geladeira, o tipo de material é usado e se eu posso fazer sozinha ou tenho que contratar um profissional. Um grande abraço e sucesso.
Adriana

ROSENBAUM RESPONDE

 Olá Adriana,

Então, se a sua geladeira está mais velha por fora do que por dentro, realmente não precisa trocar e gastar com uma nova.

Faz o seguinte: escolhe um desenho que você goste, em alguma revista ou livro, vale até ser estampa de roupa.

Aí, você manda fazer um adesivo, do tamanho da porta da geladeira, num birô, desses que fazem carimbos, placas, essas coisas. Pode ser de qualquer cor.

No projeto da casa da família Ferreiras, a cozinha era integrada com a sala e a geladeira virou um objeto de decoração. Mas mesmo que a sua cozinha seja separada, vale muito à pena. Boa sorte!

 

 

geladeira

blog do kaká verá

kaka1

Kaká Verá acaba de inaugurar seu blog. Boa notícia pra todos nós!

fademac: casa cor sp, spfw, wgsn

Hoje à noite, será o lançamento oficial da nova paleta de cores de pisos vinílicos que criamos para a Fademac – multinacional do Grupo Etex, com tradição de quase 50 anos na fabricação de pisos vinílicos no Brasil. Uma etapa importante do trabalho de reposicionamento de produto, que iniciamos a desenvolver junto à empresa, há cerca de dois anos.

fademac_paleta1

Nosso foco inicial foi a linha Chroma da Paviflex, revestimento vinílico semiflexível, apresentado em placas de 30X30cm e 60X60cm. A atualização da paleta de cores, trouxe frescor e um aspecto de revitalização para o produto, incrementando o seu uso corporativo e resgatando o seu uso residencial. 

A primeira mostra dos estudos foi na Casa Cor São Paulo 2007, quando usamos Paviflex como piso de uma cozinha de 200m2, com uma paginação de dois tons de cinza e branco. Pela forte característica conceitual do projeto, e sua excelente repercussão, confirmou-se a evidência que o reposicionamento abriria uma gama de novas possibilidades de uso para o revestimento.

cozinha-clube-07_82

 À convite do WGSN – portal de referência mundial de tendências de comportamento e de consumo, criamos o lounge no SPFW. As paredes e o piso, são revestidas com paginação criada a partir de uma estampa da estilista Adriana Barra, nas cores da nova paletaTendência, moda, comportamento, consumo, arte. Uma mistura de universos que amplia, revitaliza, e solidifica o produto e a empresa.

img_3318_corte-copia

img_3278-copia

img_3316-copia

fotos Douglas Garcia

muxarabis, lustres e pendentes

A jornalista Mara Gama, especializada em design, publicou em seu blog o post Muxarabis, lustres pendentes e super adobe, que contextualiza  os principais elementos do Dalva e Dito. Agradecemos o olhar e recomendamos a leitura (!).

notícias: blog design, mara gama

17/01/2009

Muxarabis, lustres pendentes e super adobe

 
Inaugurado neste início de janeiro, o Dalva e Dito, restaurante de comida brasileira do chef Alex Atala nos Jardins, em São Paulo, foi projetado e decorado por Marcelo Rosenbaum.

O espaço é grande, aberto. Tem referências de várias épocas. O resultado é cenográfico. Apesar de cheio de detalhes e objetos, o interior remete às amplas casas de fazenda, como forros altos. Evoca imagens históricas das construções do Brasil.

O mobiliário é bem escolhido, com cadeiras de palhinha e mesas com assoalho, piso de ladrilhos hidráulicos bem feito. Mas o que mais me chamou a atenção foram os enormes muxarabis, a instalação feita com lustres pendentes e as paredes de terra.

Os muxarabis, treliças de madeira, “fecham” cobertura e laterais de uma área grande em formato de caixa que se acopla ao prédio principal.

Assim como os muxarabis originais, de tradição árabe, que eram usados nos balcões que se projetavam das fachadas lisas das casas. O uso estrutural do muxarabi é muito bem feito no novo espaço.

Herança dos árabes, essas treliças passaram por Portugal e foram incorporados ao modo colonial brasileiro também em balcões, deixando entrar o vento fresco, proporcionando sombras rendilhadas e escondendo o interior das casas. Os balcões foram erradicados no século 19 e a partir dos anos 1950 os muxarabis foram revividos pelos arquitetos modernos em elementos bidimensionais, como janelas e portas.

Os lustres “genéricos” foram montados com hastes – como as pendant lamps da Bauhaus – de tamanhos variados, numa espécie de cortina luminosa. Os formatos são aqueles inspirados em linhas art deco, que se viam costumeiramente nas casas dos centros urbanos a partir dos anos 1940.

As paredes do restaurante foram feitas de super adobe, material/técnica de construção com terra. Na construção com super adobe, sacos cheios de terra são sobrepostos para erguer as paredes. Para as aberturas de portas e janelas, são colocados moldes nos formatos adequados.

No restaurante, há uma parte da parede, numa área próxima da escada que leva ao bar, com uma abertura que exibe o modo de construção com os resíduos dos sacos usados para moldar a terra.

O sistema de super adobe foi inventado nos anos 1980 pelo arquiteto iraniano Nader Khalili para a Nasa. Se você quer ver desenhos ilustrativos, dê uma olhada no site How Stuff Works.

As fotos desta página foram tiradas do blog do Rosenbaum. São de Douglas Garcia e Cassio Vasconcellos.

 

Mara Gama às 02h26