Arquivo do mês: abril 2010

salve jorge!

Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se quebrem sem ao meu corpo amarrar. São Jorge, cavaleiro corajoso, intrépido e vencedor. Abri os meus caminhos. Ajudai-me a conseguir bom emprego. Fazei que eu saiba estimar a todos, superiores, colegas e subordinados, e também ser estimado. Que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre no meu coração, na minha família, na minha escola e no meu trabalho. Velai por mim e pelos meus, protegendo-me sempre, abrindo e iluminando os nossos caminhos, ajudando-nos também a trasmitir paz, amor e harmonia a todos os que nos cercam. Amém.

Anúncios

o arquiteto descalço

Essa matéria da Revista Florense de Arquitetura traz Johan Van Lengen, conhecido também como o arquiteto descalço. Bioarquiteto holandês, residente no Brasil, ele é o autor do livro Manual do Arquiteto Descalço, publicado em 2008 pela editora Emporio do Livro, que mostra de maneira bem didática técnicas e maneiras de construção em harmonia com a natureza. Ficam as dicas de leitura.

“O  holandês Johan Van Lengen morou mundo afora e chegou ao Brasil nos anos 1960, encantado com o modernismo de Brasília. Pai da bioarquitetura, defende projetos que interajam com o meio ambiente de forma mais racional e prega, às vésperas de completar 80 anos: “temos que mudar os arquitetos”.”

Clique nas imagens para ler a matéria completa.

Por Beto Rodrigues, Revista Florense Arquitetura, outono 2010, n 25, ano 7.

caruaru no pavilhão das culturas brasileiras

Acontece hoje a abertura da exposição Puras Misturas, que anuncia a criação do Pavilhão das Culturas Brasileiras, futuro novo museu dentro do  Parque Ibirapuera (SP), em um prédio do Niemeyer anos 50.

A mostra, de acordo com a curadora Adélia Borges,  é uma celebração da riqueza e da diversidade da cultura brasileira, apresentando peças e um diálogo entre arte erudita, popular e indígena.

Na entrada do Pavilhão, está montada uma instalação com 65 banquinhos (dos 88 que se revezarão durante a mostra), de variados formatos e materiais, onde os visitantes poderão sentar. São bancos feitos por povos indígenas, comunidades de várias partes do país, artesãos e designers – entre eles Sérgio Rodrigues, Carlos Motta, Michel Arnoult, Nildo Campolongo, Claudia Moreira Sales, Lina Bo Bardi, Marcelo Ferraz e Marcelo Suzuki.

A nossa Banqueta de Tela, da Linha Caruaru (que na imagem aí de cima aparece ao lado da Poltrona de Tela), está nesse módulo e foi doada para fazer parte do acervo do futuro museu. Fica a dica do passeio, de visitar a exposição e sentar-se à vontade.

caruaru no mercosul

Os móveis inspirados na Feira de Caruaru ganharam chão e, do agreste do Pernambuco, chegaram ao Mercosul.  A Linha Caruaru, criada em 2009 para a Micasa e produzida pela Artefama,  foi vencedora do prêmio Salão Design Móvel Sul 2010, na categoria móveis, modalidade Indústria, semana passada  em Bento Gonçalves-RS. E por isso automaticamente está concorrendo para o Prêmio Design Merscosul que acontecerá no final do mês de abril, no Uruguai. Fica a torcida e um obrigado para todo mundo que constroi todo dia o patrimônio cultural do Brasil.

Veja mais sobre a Linha Caruaru: o convite, a exposição, a trilha, o vídeo, o catálogo, as xilogravuras de J.Borges, o falatório, na Micasa.