Arquivo da tag: Rio de Janeiro

camarote devassa 2010

A novidade desse ano é que o tradicional camarote da Nova Schin no sambódromo da Marquês de Sapucaí abriu o espaço para a Devassa e lançamento da Devassa Bem Loura.  A ação faz parte do reposicionamento da marca carioca que foi comprada pelo Grupo Schincariol em 2007, com estratégia criada e produzida pela agência Mood.

Depois do camarote Nova Schin 2005 e 2006, apresentamos o Devassa 2010. O clima é de Carnaval na avenida e de Cabaré no camarote. O que vale é a fantasia – que com certeza já ganha outra dimensão pela presença da madrinha Paris Hilton, estrela da campanha publicitária.

Abre alas que a Devassa quer passar! Ou DANÇAR, COMER e RELAXAR nos três ambientes e momentos montados no camarote – todo vermelho, rosa, dourado e espelhado.

Essa é a  entrada pela avenida dos desfiles:

E essa a entrada  pela avenida de acesso. O logotipo da Devassa em neon, aplicado sobre fundo de capitonê dourado, convida quem passa, sem o menor pudor, só com o movimento do braço.

Além da estética, buscamos uma solução de conforto e funcionalidade para os 550 convidados, mais pessoal de serviço, que circularão por noite no espaço de 800m2.

No térreo, o PARA DANÇAR.

Com direito a palco e pole dance. O palco com recorte em rococó também faz referência aos cabarés franceses da Belle Époque. Os sofás têm desenho inspirado na Linha Coroa, Rosenbaum para Mannes.

No primeiro pavimento, o PARA COMER.

O grafismo das paredes e do teto segue o padrão do papel de parede, linha arabesco, Rosenbaum para Bobinex.  A cozinha show, a  mesa banquete e o buffet Fasano favorecem a camaradagem natural da festa.

E no segundo pavimento, o PARA RELAXAR, com serviços de massagem do Buddha Spa e vista panorâmica da avenida (que amanhã tem mais!).

*

Mais sobre o camarote Devassa 2010:

Camarote Nova Schin 2005, 2006 e 2010 – parceria com o Grupo Schincariol de outros carnavais, desde 2005

Camarote Devassa 2010 – conceito, imagens 3d e plantas baixas

Devassa Bem Neon – flagra da Devassa, em plena avenida de acesso

Devassa pelo Avesso – programa Avesso mostra a festa de esquenta no sábado de Carnaval e os bastidores do camarote

camarote nova schin 2005, 2006, 2010

A quatro dias da abertura dos desfiles do Carnaval 2010 no sambódromo do Rio, olhando da passarela, por trás dessa cortina, está o camarote da Nova Schin 2010, que será apresentado oficialmente amanhã em coletiva para a imprensa.

Por ora, aproveitando o embalo clássico da marchinha Recordar é Viver, lembramos dos camarotes da Nova Schin de 2005 e 2006, assim como deve ser!, inesquecíveis no quesito alegria.

Camarote Nova Schin 2006, veja mais fotos

Camarote Nova Schin, 2005, veja mais fotos

*

Amanhã, depois da coletiva, a gente vai abrir a cortina e contar mais sobre o camarote  2010.

*

“…Recordar é viver,
Eu ontem sonhei com você
Eu sonhei,
Meu grande amor,
Que você foi embora,
E logo depois voltou…”

Recordar é Viver, de Aldacir Marins e Macedo

lar doce lar 36 – família do carmo

Do alto do Morro Dona Marta, de onde se vê a baía de Guanabara e o Cristo Redentor, as vielas da favela têm nome e as casas têm número.  Na rua das Roseiras, fica a casa de Raimunda – 31 anos, mãe de Isabela de 16, Isaac de 11 e Gabriel de 9 anos.

Ela tem curso de manicure e de cabeleireira. Mas por conta de uns tombos que andou levando, arranjou uma lesão na coluna e perdeu o emprego que tinha no Flamengo. Já teve salãozinho em casa e agora atende quando dá. Na foto de baixo dá pra ver a placa do antigo salão…

A casa estava construída praticamente dentro de um buraco, com um desnível de 1,70m abaixo da rua.

Toda a  família de Raimunda mora na rua das Roseiras. São 17 pessoas em 4 barracos, de 2 cômodos,  improvisados como era o dela. Ficam em terrenos totalmente fora dos padrões, como esse de  3,72m de largura por 10m de comprimento.

Os terrenos em declive dificultam em muito o acesso às casas e o transporte do material de construção. Para ajudar, a própria comunidade agilizou um bondinho, que percorre 4 estações pelo morro.

A antiga casa foi totalmente demolida e o terreno nivelado à altura da rua, onde foi construído o térreo da nova casa e o pavimento superior.

Optamos pela construção seca (steel frame), pra facilitar a subida dos materiais, já que as estruturas e as placas cimentícias são leves e o acabamento se resolve praticamente só com pintura. Outro ponto a favor da construção seca é que ela gera pouco resíduo na obra. Ou seja, não tivemos entulho pra remover.

No lugar das festejadas lajes do morro, instalamos um telhado verde, que traz mais conforto térmico para a casa, fica mais bonito e só deixa o churrasquinho de domingo mais gostoso. E muito importante: em terrenos em declive, o telhado verde ainda vai retardar as águas das chuvas, ajudando a combater alagamentos e desmoronamentos. 

*

Presente para a comunidade

A nova casa da Raimunda foi pensada para atender às necessidades do dia a dia da família Do Carmo, mas também como modelo que poderá servir a qualquer família dentro do perfil da comunidade, com a possibilidade de aumentar a área e até de abrir um negocinho próprio.

Esse projeto de soluções  foi doado pelo Lar Doce Lar  para a comunidade Santa Marta  e entregue em mãos  para o Secretário de Planejamento e Obras do Rio de Janeiro, Sérgio Dias.  Contempla as seguintes opções:

1 quarto + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
1 quarto + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial
2 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
2 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial
3 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
3 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial

amanhã tem lar doce lar, em novo horário

melissa rio de janeiro!

Palestra Melissa 024p

Essa é a vista (!) do casarão em Santa Teresa, onde está a Melissa Eu!, com o modelo criado pela designer Zaha Hadid. Vale o passeio e relembrar a trajetória da Melissa, de 30 anos até alcançar o privilégio de “virar cartão-postal”. A exposição fica até 15 de novembro, no Solar Real,  rua Aprazível, 39, às terças e quintas das 10h às 18h, nos outros dias das 10h às 22h, às segundas não abre, e a entrada é gratuita. Algo assim, como “Vi uma Melissa e lembrei de você”.