Arquivo da tag: Peru

notícias: recuerdos na revista dufry

 

A ideia das estampas das almofadas veio das ruas de Lima, numa viagem ao Peru.

Das “chichas”, que é como os peruanos chamam os cartazes tipo lambe-lambe – que anunciam shows e festas populares, grudados pelos postes e muros da cidade.

Foram bordadas por artesãs locais, encomendadas especialmente para o ambiente na Casa Cor Peru.

Recuerdos, recuerdos…

*

Anúncios

making of casa cor peru

Esta é uma das imagens em 3d, do que será o Loft do Jovem Colecionador de Arte, na Casa Cor Peru.O Marcelo está lá há uma semana acompanhando a montagem que está em fase de finalização e mandou algumas imagens de como está ficando:
156

2-copia

3-copia

4-copia

5-copia1

6-copia

8-copia

9-copia

Leia o que o Marcelo escreveu sobre este projeto.

os tesouros antigos do peru

tadpJá que o tema é Peru, vale repassar o convite para a Exposição PARACAS, Tesouros Inéditos do Peru Antigo. Dá pra imaginar de onde veio o Jovem Colecionador de Arte

Centro Cultural FIESP (naquele prédio que tem fachada de brise de alto a baixo), na Av. Paulista, 1313, sp

De 19 de setembro a 2 de novembro de 2008

casa cor peru abre dia 22

A Casa Cor Peru abre semana que vem, dia 22 de setembro. O texto abaixo, Marcelo escreveu especialmente para a revista desta edição. Faz a gente imaginar um pouco do que está acontecendo por lá e como será o Loft do Jovem Colecionador de Arte.

peru4
Orotongo, Harry Chávez, Cuentas plásticas y gemas de vidrio sobre lienzo, 2004

O jovem colecionador de memórias

Participar da Casa Cor Peru me fez lembrar que sou latino-americano. Mesmo que pareça algo meio estranho para um brasileiro dizer, foi bem o que senti, ao reafirmar um vínculo tão genuíno através do meu trabalho. E ainda que fosse apenas por isso, já valeria, e muito, o convite – obrigado, Verônica!
 
Nessa, que foi minha primeira vez em Lima, de cara encontrei uma cidade vibrante, colorida, caótica, sofisticada, rica e pobre ao mesmo tempo – que me lembrou São Paulo, em outras proporções. Assim como nas outras cidades peruanas que visitamos, me senti bem-vindo, em casa, ou no máximo na casa do vizinho amigo.
 
Sou um designer que vive e trabalha no Brasil, um país onde o mais comum é ser diverso. Onde, muitas vezes, o contraste é que acaba harmonizando as manifestações culturais. No meu dia-a-dia de trabalho, procuro aproximar as duas pontas. Seja colocando um objeto tecnológico ao lado de uma peça de artesanato de raiz, seja criando ambientes dos mais sofisticados a partir de itens dos mais populares. Reusando materiais para criar novas peças ou reunindo gente de todo o tipo no mesmo lugar.
 
O meu jeito de perceber o entorno está diretamente relacionado com a memória que as pessoas, os lugares e os objetos trazem, com a história que contam. Tem a ver com a cidade do interior onde nasci, com os meus avós alemão, russo, italiano e português; com meu pai judeu, minhas crenças budistas, com meu dia-a-dia. É minha bagagem, que eu não viajo sem. E chegar ao Peru me trouxe o frescor de novas possibilidades de misturas e percepções, em conseqüência, de trabalho.

Para a Casa Cor criei a sala do jovem colecionador de arte. Provavelmente porque o gosto pela memória sugere coleções – eu também tenho as minhas. De obras de arte a souveniers, objetos contam histórias. “Eu estive no Peru e lembrei de mim”.

Mais imagens inspiradoras do fotógrafo Mario Testino, do livro editado por ele “Lima Peru, Featuring the Work of Over 100 Peruvian Artists.

vogue rg, jun/08: andanças andinas

 

O Marcelo escreveu esta matéria para a Vogue RG em junho, quando ele e a Adriana voltaram encantados da viagem de pesquisa ao Peru, à convite da Verônica Dehaaker- que nos convidou para participar da Casa Cor de lá e desde então tem sido a nossa melhor cicerone . E assim começou o projeto, do loft do Jovem Colecionador de Arte.

por conta da casa cor peru

Texto do nosso popular e colorido Gabu:

untitled

“Como a pluralidade é latente e reverberante em todos os cantos deste escritório e desta equipe, às vezes a gente vai com a cara, de coisas que nem mesmo conhece e entende. Por conta do projeto que estamos fazendo para Casa Cor  Peru, temos freqüentado Lima e arredores em viagens, e-mails, fotos, e, hoje, como que em um passe de mágica, apareceu por aqui o panfleto de um concierto de aniversário do “programa radial” –  não que a gente seja ouvinte ou até mesmo já tenha escutado este programa… o fato é que o tal papelzinho é riquíssimo em informação e estética e achamos que valia dividir ele no blog. O interessante é que a estética dele é popular, popularíssima, e este exercício de perceber e valorizar a produção de design popular é recorrente por aqui. pras bandas do peru percebemos cores superfortes, trajes pra lá de bordados, nomes poéticos, muitos chapéus e rostos que demonstram uma grande soma étnica. pra fechar com chave de ouro, o panfleto diz que a coroação será feita pela grande Juanita Ramirez, dueña y señora del valle mantaro. Quer mais?!

gabriel valdivieso