Arquivo da tag: Lar Doce Lar

LAR DOCE LAR – FAMÍLIA MOURA

Veja a cobertura completa do programa Lar Doce Lar exibido no último sábado (05/06), no programa Caldeirão do Huck.

Marcelo Rosenbaum também convida você a conhecer o portal do projeto “A Gente Transforma – Parque Santo Antônio com Suvinil ao Vivo”.

Assita ao video:

Anúncios

ldl 38 – família silva – duque de caixas

ANTES:

DEPOIS:

A nova casa da família Silva foi projetada com o maior numero de soluções ecologicamente corretas e sustentáveis, acompanhe cada uma delas:

– feita utilizando  sistema de construção seca, pela Brasilit. Construção seca é uma forma de construção racionalizada, com pouco desperdício e pouco impacto ambiental. Sobre esse assunto fizemos um post ROSENBAUM RESPONDE  onde você pode esclarecer algumas dúvidas !

– também aplicamos na casa sistema de captação de água de chuva para ser usado na descarga do banheiro e telhado verde sobre o bloco de serviço, diminuindo a temperatura interna do galpão.

Fachadas

A casa principal foi divida em dois blocos: o bloco íntimo (quartos), o bloco social (sala e cozinha) e todos interligados pela varanda, que serve de circulação e área de lazer.

No bloco social, a sala de estar é integrada com a cozinha, em um único espaço.

No bloco íntimo, 4 quartos + banheiro para abrigar a família que é grande

– como a fonte financeira da família era a coleta de lixo, fizemos um anexo a casa principal, o  bloco de serviço, com a lavanderia e o salão de separação de resíduos para reciclagem.

– e como as maiores mudanças estão sempre relacionadas à educação, indicamos o Instituto Solvi, um parceiro nosso, que fez o treinamento para coleta seletiva com a família, além de ensinar formas de  resuo de resíduos e a integração de toda a família  numa coopertativa, aumentando assim, a sua fonte de renda.

– em um bloco independente, fica uma usina de reciclagem para profissionalizar o trabalho.

ldl 38 – favela surf clube

Depois que o menino Naamã viajou com Luciano Huck e realizou seu sonho de surfar com Kelly Slater no Hawai, nem ele, nem o Favela Surf Clube foram os mesmos. Aconteceu que o FSC, ong que Naamã frequenta e que resgata jovens do complexo Cantagalo Pavão Pavãozinho através do surfe, foi escolhida para o primeiro Lar Doce Lar Social. Como disse Rogério, que é coordenador do FSC, “ o meu sonho é realizar o sonho deles”. Good vibes, galera!

FSC antes

Em um espaço de mais de 300m2, o desafio fundamental foi de melhorar o acesso, a ventilação e a iluminação que eram muito restritos, criando um ambiente funcional e acolhedor para os jovens.

¨

¨

¨

¨

FSC depois

A partir daí, a reforma foi pensada para resolver as necessidades já existentes e, principalmente, através da criação de novos espaços, abrir novas possibilidades de trabalho e organização para o Favela Surf Clube.

Pensando assim, optamos pela loja logo na entrada, para que os visitantes possam conhecer a produção FSC e que essa marca seja fortalecida como uma fonte de recurso para a ONG. Foram definidos espaços para o escritório, o auditório, o salão de atividades integradas e a fábrica de pranchas com as salas de funções específicas. Além da cozinha e dos vestiários.

A loja acompanha a estética  do surfe, com piso de deck e displays e estantes feitos com o reaproveitamento do cedrinho – que é a madeira utilizada na obra para andaimes e tapumes.

A mesa é montada com cavaletes da Tok e Stok e tampo de vidro cortado no tamanho.

¨

¨

O corredor, que era aquele túnel escuro, ganhou luz com a abertura de janelas em todas as salas e personalidade com grafite do Acme, artista da comunidade.

Técnicamente, a sala de lixa deve ter as paredes escuras para contrastar com o shape e facilitar o trabalho. Em vez do preto, optamos pelo verde, que causa o contraste necessário, mas não escurece tanto.

A fábrica de pranchas foi distribuída em cinco salas, que se comunicam internamente: lapidação, lixa, resina, pintura e lixa d’água.

¨

¨

¨

A antiga salinha de vídeo deu lugar ao auditório, com arquibancadas de alvenaria, para acomodar mais gente, com mais visibilidade. Do jeito pra receber visitantes da comunidade. A onda é desenho do Bruno Dias, nosso pratinha da casa.

Toda a hidráulica e a elétrica são aparentes, para entrar na estética mais jovem e pra reduzir custos.

¨

¨

A prancha com o morro retratado é mais um obra do Acme.

¨

¨

¨

Favela Surf Clube, logo criado pelo designer Glauco Diogenes.

*

O Favela Surf Clube funciona na Rua Saint Romain, 200, no Morro do Cantagalo, Rio de Janeiro. Mais informações, envie um e-mail para favelasurfclube@gmail.com ou fale com o Rogério no (21) 8806-0669 ou com o Thiola no (21) 9774-0042.

*


rio breaks

Esse é o trailer do documentário Rio Breaks, que retrata o trabalho do Favela Surf Clube, com a participação do menino Naamã. Foi a partir desse filme que o Caldeirão do Huck conheceu a história de Naamã, que acabou levando à escolha da sede do FSC para o Lar Doce Lar.

sábado tem lar doce lar!

notícias: indaba design magazine, big in brazil

A revista Indaba Design Magazine é uma publicação do Indaba e fez essa matéria, antecedendo a participação do Marcelo no Indaba Design 2010 – que acontece logo mais, de 24 a 28 de fevereiro – , inclusive antecipando o tema que aparece aqui como título: Big in Brazil. (Clique na imagem pra ver em tamanho legível)

Texto Frederico Duarte

o poder da mudança através do social

Dentro do contexto do Seminário de Moda e Tendências WGSN ( o post de ontem, logo aqui abaixo), onde foi proposto o tema O PODER DA MUDANÇA, o Marcelo definiu falar sobre O PODER DA MUDANÇA ATRAVÉS DO SOCIAL, como uma oportunidade importante  de amarrar o nosso  trabalho apresentado na edição passada da SPFW, nesse mesmo seminário e depois durante a semana no lounge WGSN.

Relembrando:  a macro tendência proposta na edição passada foi Conectividade. E a interpretação que demos foi CONECTAR É MOBILIZAR, transformando o lounge do WGSN num qg do projeto Oásis, empenhado na reconstrução de Santa Catarina pós tragédias climáticas 2008/09, em plena Semana de Moda de São Paulo, como um espaço pensado para ampliar e diversificar as conexões do Oásis e,  portanto, suas oportunidades de êxito.

Passados esses seis meses, nada mais gratificante do que mostrar o fruto dessa mobilização – foi o vídeo que o Marcelo apresentou sobre o trabalho do Oásis em Blumenau, e o poder de mudança que apoiar e estimular as comunidades pode trazer até nas situações mais adversas.

Essa é a síntese da conversa de ontem, que na sequência do Oásis, o Marcelo ilustrou com outros projetos do escritório, como a  Biblioteca Para Todos, o projeto de casas para o Morro Santa Marta doado para a Prefeitura do Rio e a Coleção Jalapa feita com artesãs do capim dourado do Jalapão.

O bom de contar isso aqui é conseguir cada vez mais conexões, que mobilizem mais e mais pessoas, que consigam reconhecer e ter reconhecido o seu poder de mudar. Essa é a tendência que a gente quer mais e mais seguir com nosso trabalho.