Arquivo da tag: Caldeirão do Huck

LAR DOCE LAR – FAMÍLIA MOURA

Veja a cobertura completa do programa Lar Doce Lar exibido no último sábado (05/06), no programa Caldeirão do Huck.

Marcelo Rosenbaum também convida você a conhecer o portal do projeto “A Gente Transforma – Parque Santo Antônio com Suvinil ao Vivo”.

Assita ao video:

Anúncios

ROSENBAUM RESPONDE – favela surf clube

Tem um monte de gente interessado em vestir a camiseta do Favela Surf Clube e entrar nessa onda de bombar o trabalho da ONG. É uma criação da Reserva, marca de roupas carioca, e as encomendas devem ser feitas para eles no e-mail marketing@usereserva.com.br ou direto nas lojas.

Olha o shape dela, de frente:

e de costas:

*

Respondendo:  o tapete em forma de ovelha que aparece no vestiário masculino, sim, é da Tok & Stok.

*

Respondendo:  Nas paredes do auditório, o aspecto de concreto, na verdade, é uma tinta especial, chamada Efeito Concreto Aparente Suvinil.

*

ldl 38 – favela surf clube

Depois que o menino Naamã viajou com Luciano Huck e realizou seu sonho de surfar com Kelly Slater no Hawai, nem ele, nem o Favela Surf Clube foram os mesmos. Aconteceu que o FSC, ong que Naamã frequenta e que resgata jovens do complexo Cantagalo Pavão Pavãozinho através do surfe, foi escolhida para o primeiro Lar Doce Lar Social. Como disse Rogério, que é coordenador do FSC, “ o meu sonho é realizar o sonho deles”. Good vibes, galera!

FSC antes

Em um espaço de mais de 300m2, o desafio fundamental foi de melhorar o acesso, a ventilação e a iluminação que eram muito restritos, criando um ambiente funcional e acolhedor para os jovens.

¨

¨

¨

¨

FSC depois

A partir daí, a reforma foi pensada para resolver as necessidades já existentes e, principalmente, através da criação de novos espaços, abrir novas possibilidades de trabalho e organização para o Favela Surf Clube.

Pensando assim, optamos pela loja logo na entrada, para que os visitantes possam conhecer a produção FSC e que essa marca seja fortalecida como uma fonte de recurso para a ONG. Foram definidos espaços para o escritório, o auditório, o salão de atividades integradas e a fábrica de pranchas com as salas de funções específicas. Além da cozinha e dos vestiários.

A loja acompanha a estética  do surfe, com piso de deck e displays e estantes feitos com o reaproveitamento do cedrinho – que é a madeira utilizada na obra para andaimes e tapumes.

A mesa é montada com cavaletes da Tok e Stok e tampo de vidro cortado no tamanho.

¨

¨

O corredor, que era aquele túnel escuro, ganhou luz com a abertura de janelas em todas as salas e personalidade com grafite do Acme, artista da comunidade.

Técnicamente, a sala de lixa deve ter as paredes escuras para contrastar com o shape e facilitar o trabalho. Em vez do preto, optamos pelo verde, que causa o contraste necessário, mas não escurece tanto.

A fábrica de pranchas foi distribuída em cinco salas, que se comunicam internamente: lapidação, lixa, resina, pintura e lixa d’água.

¨

¨

¨

A antiga salinha de vídeo deu lugar ao auditório, com arquibancadas de alvenaria, para acomodar mais gente, com mais visibilidade. Do jeito pra receber visitantes da comunidade. A onda é desenho do Bruno Dias, nosso pratinha da casa.

Toda a hidráulica e a elétrica são aparentes, para entrar na estética mais jovem e pra reduzir custos.

¨

¨

A prancha com o morro retratado é mais um obra do Acme.

¨

¨

¨

Favela Surf Clube, logo criado pelo designer Glauco Diogenes.

*

O Favela Surf Clube funciona na Rua Saint Romain, 200, no Morro do Cantagalo, Rio de Janeiro. Mais informações, envie um e-mail para favelasurfclube@gmail.com ou fale com o Rogério no (21) 8806-0669 ou com o Thiola no (21) 9774-0042.

*


sábado tem lar doce lar!

ROSENBAUM RESPONDE – d.conceição

Sobre o novo casarão da D. Conceição, o que mais os leitores aqui do blog querem saber:

-TELHAS: no corredor, que na casa antiga era muito escuro, usamos telhas translúcidas justamente para deixar mais claro.

-BAGUÁ: além das telhas, para deixar o corredor mais iluminado e agradável (e também porque ele  é bem comprido),  pintamos as paredes de várias cores, definindo diferentes momentos, com cores inspiradas no Feng Shui – que é uma técnica chinesa milenar de harmonização de ambientes.

O Baguá (que é essa ilustração aí de cima)  é uma das ferramentas mais conhecidas e principais do Feng Shui e serve como um mapa para organizar a casa. É dividido em 8 áreas (chamadas de Guás), cada uma relacionada a uma cor e aos setores considerados mais importantes.  A sequência de cores do corredor foi azul (espiritualidade), verde (família) e um tom de lilás que está associado à prosperidade – que, afinal, é o que todo mundo deseja para o Lar Doce Lar da D. Conceição.

-MANTA ANTITÉRMICA: usamos o Aluminosol, um isolante térmico produzido pela Isover, que aplicado sob o telhado, reduz as trocas de calor e frio com o exterior da casa, proporcionando temperaturas mais amenas e mais conforto térmico.

-EFEITOS NAS PAREDES: os efeitos são da Suvinil: o quarto lilás é o Suvinil Effect Line  Metalizado Purple;  na sala de estudos o efeito pátina e tinta lousa.

-CHUVEIROS: o aparelho que aparece nos banheiros, que reduz o consumo de energia elétrica é o da Rewatt, que também usamos na casa da família Martiniano (lembra da casa da pedreira Geise?) – mais detalhes, clique aqui  pra ver o ROSENBAUM RESPONDE – família Martiniano.

a festa é sua: lar doce lar dona conceição

A primeira boa impressão foi a que ficou: no coração e na casa de Dona Conceição sempre cabe mais um.  Uma mãe sorridente e falante, de 53 filhos, entre os quais dois biológicos e 43 que vivem com ela numa casa em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Consultora espiritual bastante conhecida na cidade, faz seus atendimentos em casa.

Dona Conceição, a festa é sua!

A casa foi doada há cerca de 10 anos e levou uns 4 anos sendo ajeitada com recursos de doações: ficou com 3 pavimentos, 7 quartos, um terraço não muito grande e pouco aproveitado, cozinha, a sala de atendimentos, 3 salas de estar e área de serviço.

Pouca luz e pouca ventilação.

Apesar de grande,  o espaço  era muito mal aproveitado. Não havia camas nem armários suficientes e muitas crianças dormiam em colchonetes.

antes

depois

lar doce lar 36 – família do carmo

Do alto do Morro Dona Marta, de onde se vê a baía de Guanabara e o Cristo Redentor, as vielas da favela têm nome e as casas têm número.  Na rua das Roseiras, fica a casa de Raimunda – 31 anos, mãe de Isabela de 16, Isaac de 11 e Gabriel de 9 anos.

Ela tem curso de manicure e de cabeleireira. Mas por conta de uns tombos que andou levando, arranjou uma lesão na coluna e perdeu o emprego que tinha no Flamengo. Já teve salãozinho em casa e agora atende quando dá. Na foto de baixo dá pra ver a placa do antigo salão…

A casa estava construída praticamente dentro de um buraco, com um desnível de 1,70m abaixo da rua.

Toda a  família de Raimunda mora na rua das Roseiras. São 17 pessoas em 4 barracos, de 2 cômodos,  improvisados como era o dela. Ficam em terrenos totalmente fora dos padrões, como esse de  3,72m de largura por 10m de comprimento.

Os terrenos em declive dificultam em muito o acesso às casas e o transporte do material de construção. Para ajudar, a própria comunidade agilizou um bondinho, que percorre 4 estações pelo morro.

A antiga casa foi totalmente demolida e o terreno nivelado à altura da rua, onde foi construído o térreo da nova casa e o pavimento superior.

Optamos pela construção seca (steel frame), pra facilitar a subida dos materiais, já que as estruturas e as placas cimentícias são leves e o acabamento se resolve praticamente só com pintura. Outro ponto a favor da construção seca é que ela gera pouco resíduo na obra. Ou seja, não tivemos entulho pra remover.

No lugar das festejadas lajes do morro, instalamos um telhado verde, que traz mais conforto térmico para a casa, fica mais bonito e só deixa o churrasquinho de domingo mais gostoso. E muito importante: em terrenos em declive, o telhado verde ainda vai retardar as águas das chuvas, ajudando a combater alagamentos e desmoronamentos. 

*

Presente para a comunidade

A nova casa da Raimunda foi pensada para atender às necessidades do dia a dia da família Do Carmo, mas também como modelo que poderá servir a qualquer família dentro do perfil da comunidade, com a possibilidade de aumentar a área e até de abrir um negocinho próprio.

Esse projeto de soluções  foi doado pelo Lar Doce Lar  para a comunidade Santa Marta  e entregue em mãos  para o Secretário de Planejamento e Obras do Rio de Janeiro, Sérgio Dias.  Contempla as seguintes opções:

1 quarto + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
1 quarto + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial
2 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
2 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial
3 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia
3 quartos + banheiro + copa/cozinha + sala + lavanderia + área para uso comercial