Arquivo do dia: agosto 21, 2009

visita ao mestre j. borges

J.BORGES, ou José Francisco Borges. É dos mais importantes artistas populares do Brasil. Nascido em Bezerros, interior de Pernambuco, em 1935,  já foi vendedor de jogo do bicho, adepto da quiromancia, pedreiro, pintor. Foi vendedor de cordel, ou folheteiro como também se usa chamar,  até que a partir de 1964, passou a dedicar-se integralmente ( e como toda a sua genialidade!)  à atividade de xilogravador e poeta popular. Participou de exposições  na França, Alemanha, Suíça, Itália, Venezuela e Cuba. Recebeu vários prêmios importantes, entre eles o Prêmio Cultura promovido pela Unesco e a Medalha de Honra ao Mérito, do Ministério da Cultura.

j borges

Até os 12 anos de idade, o garoto J.Borges ainda não sabia ler, mas já sabia decor o texto do Romance do Pavão Misterioso – folheto de cordel dos mais populares da época. E dos tempos de vendedor de cordel é que vem o conselho: “O vendedor de cordel tem que completar as histórias com piadas e fazer comentários enquanto lê o poema. Precisa também fazer as trancas, superando a narrativa nas horas certas, e deixar as histórias no ar..”

Em 1972, o escritor paraibano Ariano Suassuna ficou encantado com a riqueza das imagens que Borges produzia para as capas de cordel, fez questão de  conhecê-lo, e apontou o artista como um dos mais inventivos criadores da arte popular nordestina. A amizade dos dois e a projeção de J.Borges não pararam nunca mais.

Marcelo, de passagem por Pernambuco, visitou a oficina de Borges em Bezerros, onde ele continua na ativa, trabalhando com alguns dos filhos – ao todo são 18, de três casamentos… Até o mais jovem, o Bocaro de 10 anos de idade, já exibe o gosto pela arte e a marca do talento do pai.

atelie 1

No muro, o desenho original de uma de suas xilogravuras mais conhecidas: O MONSTRO DO SERTÃO.

o monstro

monstro-do-sertao

E outros trabalhos de J. Borges que correm o mundo, tão populares e internacionais.

Cobra-cor

O-aniversario-do-macacoIemanja

OsPescadores

violeiros

E um dos seus cordeis mais vendidos:

cordel-mais-vendido

do rosto da poesia

eu tirei um santo véu

e pedi  licença a ela

pra tirar o chapéu

e escrever A CHEGADA

DA PROSTITUTA NO CÉU

 

sabemos que a prostituta

é também um ser humano

que por  uma iludição

fraqueza ou desengano

o seu viver volúvel

sempre abraçado ao engano

 

aconteceu que uma delas

morreu em certo dia

e pela vida levada,

o povo sempre dizia

ela foi para o inferno

pelos atos que fazia

(…segue)